Dercy no Google

E eis que na véspera do meu aniversário eu abro o Google e me deparo com essa cena:

GoogleDercy

E com essa explicação no El País.

Agora, imagina se o Google resolvesse responder nossas pesquisas com se fosse a homenageada respondendo…

“Não vou buscar nada não! Vai procurar na P¨¨&%*&687 que Pa89798r7u989(*¨&(*&)(&iu!!! Veio aqui pesquisar putaria, é? Vai t&*(¨$#%¨¨&* no C&¨%$%$(*¨(¨*(U!!!”

PL 5020/13: Câmara aprova exigência de medição individual de água em condomínios

sunset-1270563_640

Texto baseado em: http://www2.camara.leg.br/camaranoticias/noticias/CONSUMIDOR/508895-CAMARA-APROVA-EXIGENCIA-DE-MEDICAO-INDIVIDUAL-DE-AGUA-EM-CONDOMINIOS.html – (por: Agência Câmara Notícias)

Foi aprovado, hoje na Câmara, a Proposta de Lei 5020/2013, depois de mais de 3 anos tramitando. Com essa aprovação da PL, só falta a sanção presidencial, para que, daqui a 5 (CINCO) anos, seja obrigatório que,  nos NOVOS condomínios, os hidrômetros sejam separados por unidade. Ou seja, para os novos condomínios, aquela taxa de água que é rateada entre todos os condôminos vai ficar bem menor, e vai se referir somente ao que é usado nas áreas comuns para limpeza, ou nas piscinas, etc. O que for usado em cada apartamento/casa/etc será cobrado em conta individual.

Na boa, não sei porque já não é assim “desde sempre”… É muito mais justo. O desperdício de um não deveria impactar na  conta de todos os demais. E a economia de um não deveria ser repassada a um perdulário. Agora fica tudo muito melhor – na condição de que os condomínios não permitam excessos com a água “do condomínio” por parte de um condômino ou outro, sob risco de isso trazer problemas internos que hoje. É o caso daquele vizinho que lava os carros todos os finais de semana, esbanjando muita água do condomínio e o síndico vai ouvir reclamações de outras pessoas que não querem pagar por isso. Não que isso não exista hoje. Mas vai ficar muito mais evidente. E aí, ou as pessoas entram em acordos pacificamente, ou podem esperar aumentos no gasto da água “do condomínio” a troco de “birra”.

De qualquer forma, está aprovado o que, para alguns municípios já é lei, e agora deverá ser para todo o país – a menos que apareça algum recurso, e, aí, a PL volta para análise no Plenário da Câmara. O tempo nos dirá o que vai acontecer nos novos condomínios, mas, para quem sabe economizar os recursos hídricos, e para os casos de condomínios em que é feito reuso da água da chuva e outros tipos de reuso, prevejo uma boa economia mensal.

Feriadão?

img_6728
Uma das coisas mais engraçadas de envelhecer é ficar na dúvida se feriados ou fins de semana são para relaxar ou cansar mais. É um corre-corre pra lá e pra cá, preparar malas se for viajar, arrumar as crianças (se você as tiver), passa no posto para abastecer (se tiver carro), pega trânsito, e por aí vai.

Você passa a semana (às vezes meses) esperando chegar esse período para descansar, e se vê preso nesse monte de tarefinhas. Não é incomum você mal começar o “descanso” mais cansado do que se tivesse ficado em casa ou ido pro trabalho. Então qual é a vantagem de continuarmos agindo assim? A resposta parece ser a quebra da rotina.

Ficar diariamente executando o mesmo ciclo de tarefas acaba por cansar seu cérebro. Tente ficar mais de uma semana sem folga, trabalhando todos os dias e você verá sua produtividade desabando. Deus bem que avisou que você precisa descansar. E nem precisa ficar o dia inteiro de papo pro ar. É sair da rotina. Embora essa saída de rotina seja, aparentemente, cansativa, como descrevi no início do post.

Agora, a própria forma de descanso também deveria ser “não repetitiva”. Fazer todos os fins de semana a mesma coisa também não ajuda. Acaba que a rotina diária vira uma rotina semanal. É importante variar o que se faz nos fins de semana, ainda que na maioria das vezes você faça a mesma coisa. Mas se de vez em quando puder, mude. Faça uma viagem curta. Passa um dia no shopping. Na pracinha. Num parquinho de diversões. Varie.

Esse meu feriadão, por exemplo, foi bem variado. Na quinta-feira, depois de um pequeno estresse no trânsito para uma viagem curta para a praia, tive um bom dia na praia e me diverti muito. No dia seguinte eu precisei trabalhar mas já estava mais leve. E, com trânsito zero, fui e até voltei pra praia de noite, onde curti o segundo tempo do feriadão no sábado.

Se eu julgasse o feriado só pela forma como começou, teria ficado emburrado o tempo todo, e provavelmente nem voltaria no dia seguinte. Mas uma vez chegando ao destino, é importante agir como você queria: relaxar e se divertir para recarregar as baterias e quebrar a rotina de estresse. Então, melhor esquecer o trânsito ruim, até porque isso já temos todos os dias.

E deu certo.

Selos mais populares de 2015

De acordo com o StampNews, os selos mais populares de 2015 (de acordo com os visitantes/leitores do site), são:

  • O principal: dia de S. Valentim, pelos correios da Polônia
  • O mais visto: empate, entre o café da manhã da Eslovênia e o selo da Rainha Elizabeth II como a que ficou mais tempo no trono (selo de Gibraltar)
  • O mais compartilhado: o Ano Internacional da Luz, pelos correios de Liechtenstein.

S. Valentim - Polônia (2015)
S. Valentim – Polônia (2015)

selo do café da manhã - Eslovênia 2015
Selo do café da manhã – Eslovênia 2015

Rainha Elizabeth II, Gibraltar (2015)
Rainha Elizabeth II, Gibraltar (2015)
 

Ano Internacional da Luz, Liechtenstein 2015
Ano Internacional da Luz, Liechtenstein 2015

 

E quem é essa menina linda do StampNews?
E quem é essa menina linda do StampNews?
(Fontes das imagens, todos do artigo já informado, do Stampnews, e outros artigos deles mesmos, todos linkados em seu artigo principal aqui)

4/4/16

Eu juro que não fiz nada. Mas desde ontem estão chovendo acessos a essa página. Não fiz nada. Nem postei nada… há uma semana não posto aqui. É gozado ver as rajadas de acesso, a princípio sem motivo. Mas, obrigado, novos visitantes! Sintam-se bem-vindos, voltem mais vezes, deixem comentários, etc.


Uma coisa divertida dos fins de semana é que, ultimamente, não tenho sabido se eles são para descansar ou cansar. São tantas tarefas a fazer em casa, é tanto corre-corre, que, pelo menos, consigo chegar na segunda-feira quase sem lembrar dos afazeres do escritório. Eu consigo, mesmo, me esquecer do trabalho quando estou em casa. Porque não dá. Não dá pra ficar pensando no trabalho se você já tem o que te ocupar em casa.

E isso é bom ou ruim?

Depende. Depende do seu foco. Se você está em casa, e valoriza sua família, tem mais é que esquecer o trabalho mesmo. É claro que não é pra ser irresponsável. Se você está de sobreaviso ou sabe que tem algo importante que precisa pensar para a próxima semana, ou algo que precise pensar (e você tem tempo) para a outra semana, você tem que fazer isso. Mas de um modo geral, se você está em casa, é para se desligar do trabalho. Assim como, se você está no trabalho, o seu foco é o trabalho. Ei, você esta sendo pago para isso. Mas, igualmente, não é para negligenciar a família. Se tem algum problema de casa para resolver, se receber algum telefonema de casa, etc, você deve atender e resolver – contanto que não consuma seu tempo de trabalho, afinal, você não está em casa. O macete é conseguir conciliar, com responsabilidade. No trabalho, foque nas suas tarefas do trabalho. Em casa, foque na família, tarefas de casa, etc.

Você é um  só, tem uma vida só, mas afazeres de vários tipos, em várias situações e áreas de abrangência diferentes. Você tem afazeres em casa, no trabalho, na igreja, etc, e o tempo que você tem para realizar todos, sorry, é um só: 24h a cada dia. E “dormir” é um dos afazeres, que não recomendo não fazer todos os dias.

É muito fácil nos perdermos no meio do mar de tarefas em que vivemos, em nossa vida atribulada de hoje em dia. Chega o momento em que precisamos usar alguma forma de gerenciamento de tarefas, e até para marcar um almoço com amigos é preciso colocar no calendário sob risco de o almoço ser “soterrado” por outras tarefas que você tem que fazer. Não existe mágica. Se hoje acumulamos tarefas e compromissos, temos que aprender como lidar com eles. Vamos usar as ferramentas que tivermos à mão. Existem metodologias e aplicativos mil para você gerenciar o tempo, tarefas, etc. Mas só existir as ferramentas não garantem nada. É preciso agir. Usar o método que mais lhe agrada e lhe dá resultado, a ferramenta que melhor se adapta ao seu dia-a-dia. E o principal: planejar.

É chato, mas é preciso planejamento. Diário. E se for o caso, ajustar o planejamento ao longo do dia. Vamos elaborar mais sobre esse assunto em uma postagem futura. Já está na lista das minhas tarefas futuras… 🙂

Visitas divertidas

“Raul que amava Alester, que odiava Jesus,
que ama a todos, que vivem brigando entre si.”

Krull

A cada dia que passa, me divirto com a forma como as pessoas chegaram aqui no site. A última foi através de alguma pesquisa no Google com o termo “raul seixas odiava jesus cristo”. Provavelmente o cara caiu nesse post aqui, que nem fala nada sobre Raul Seixas gostar de Jesus ou não. E isso, aliás, leva a outro ponto curioso: os posts mais visitados aqui, muitas vezes são “re-posts” de outros blogs. O que me sugere que eu preciso escrever mais conteúdo “interessante”. Mas como saber o que é interessante, se as pessoas caem aqui pelos assuntos mais diversos – e que, muitas vezes, nem estão ligados a posts daqui?

Pois então, queridos visitantes, o jeito é… escrever. Preciso praticar. Vou aparecer aqui mais frequentemente, mesmo que para escrever besteiras sem sentido. E aí, se você quer que apareça algo que tenha sentido, comecem a comentar e vou me guiar pelo que deseja o pessoal que aparece por aqui.

Sei que muita gente cai aqui após pesquisar por Programação Assembly, ou Filatelia. Mas ainda não sei se a ideia é voltar a focar em Programação nesse site, nem passar a falar sobre filatelia. Os programadores, geralmente vêm para buscar tutoriais. Os filatelistas vêm buscar os álbuns de Portugal… e parece que é só. Não sei. Talvez eu fale sobre esses assuntos, para fomentar uma discussão até então inexistente. Ou talvez procure mais assuntos.

Um assunto que sei que gera visitas (curiosamente, não muitas esse ano), é a série de posts de “Cidades Mais Violentas do Mundo“. Comecei isso há uns 3 anos, também como uma forma apenas de gerar conteúdo, e eu nem exprimo muitas opiniões lá, mas, olha, realmente é um sucesso. A dúvida é saber o que é que o leitor pretende com essas pesquisas. Vendo comentários em N sites de notícias, quando esse tipo de informação é liberada, vejo muita gente reclamando (eu mesmo critico a forma usada para ranquear as cidades), mas tem gente que extrapola todos os limites do razoável. É o campo certo para teorias de conspiração: já vi até gente dizendo que o ranking é feito pela Globo para maquiar a violência do Rio de Janeiro. Oi???

O que se passa pela cabeça desse povo?…

No país da jararaca

Era uma vez (e é ainda), tinha um país (tem ainda)… onde a jararaca mandava e desmandava, mesmo sem ter o poder nas mãos. Quem deveria ter o poder ficou perdida, saúda a mandioca, estoca vento, e fica pasma ao ver o povo nas ruas. E protege a jararaca.

Caros compatriotas, não se deixem enganar. Se o governo que vocês colocaram lá não está dando resultados, se ele está se voltando contra você, se quer que você pague o pato por anos de desmandos, não se sinta envergonhado por gritar. Eles vão espernear? Sim, claro. Se estivéssemos no lugar  deles, também não gostaríamos de ver esse tipo de mobilização. Haverá esperneios, haverá muito blá-blá-blá, inúmeros discursos tentando minorar o valor da mobilização popular. Haverá ameaças de muitos tipos. Mas não se deve esmorecer. Até que algo aconteça. Ou o governo acorda para os anseios de sua população, ou que dê lugar para outro.

E se outro não der certo também, ‘bora voltar às ruas.

A Nova Krull's HomePage